CABEC - Caixa de Previdência Privada BEC

Notícias

11.09.2018
Ceará terá índices extremos de radiação ultravioleta nesta semana, diz Inpe



Ceará terá índices extremos de radiação ultravioleta nesta semana, diz Inpe


Com escala de 0 a 15, o Índice Ultravioleta (IUV) aponta os riscos de se expor ao sol. Valores superiores a 11 são considerados de dano extremo à saúde.




Fortaleza e a maioria dos municípios do Ceará apresentarão índices extremos de radiação ultravioleta de sexta-feira (14) até o domingo (16), de acordo com o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE). Neste período, o estado deve registrar IUV em torno de 11, em uma escala de 0 a 15.
Valores superiores a 11 são considerados de dano extremo à saúde.



Quando mais próximo da linha do Equador, maior o índice de radiação. Com escala de 0 a 15, o Índice Ultravioleta (IUV) aponta os riscos de se expor ao sol.



De acordo com a instituição, cerca de 20% a 30% da quantidade de energia UV chega a Terra em torno do meio-dia (entre 11h e 13h), e cerca de 70 a 80% entre as 9h e 15h. Isso ocorre porque a falta de nuvens somada à temperatura elevada faz com que os raios solares sejam maiores.



Segundo especialistas, com nível até dois, não há necessidade de proteção, mas é preciso procurar uma sombra nas horas próximas ao meio-dia. A partir do três, é necessário se proteger do sol com filtro solar, camiseta e chapéu. Acima de seis, a proteção deve ser intensa: evitar se expor ao sol nas horas próximas ao meio-dia, usar camiseta, filtro solar, óculos escuros e chapéu.



UVA e UVB



A radiação UV que atinge a Terra se divide em radiação UVA e UVB, embora haja também os raios UVC, que não chegam até o nosso planeta. Entre as principais diferenças entre os raios UVA e UVB, está a cor que ele deixa na pele: quando ocorre aquela vermelhidão após o sol, é um sinal de que a pessoa foi atingida pelos raios UVB, que alcançam apenas a camada superficial da pele.



Vitamina D



Apesar dos males que causa à saúde, a exposição ao sol também traz benefícios. DE acordo com especialistas, os raios UVA e UVB são responsáveis pelo estímulo de 90% da produção da vitamina D, necessária para o corpo e para os ossos. Além disso, a vitamina D produzida pela pele é duas vezes mais estável na circulação sanguínea do que a vitamina D ingerida.




O Povo




voltar