CABEC - Caixa de Previdência Privada BEC

Notícias

11.09.2018
Época mais quente do ano, "B-R-O-Bró" deve ter clima mais ameno este ano no Ceará





Época mais quente do ano, "B-R-O-Bró" deve ter clima mais ameno este ano no Ceará


Os últimos meses do ano costumam ser mais quentes devido à ausência de chuva. O calor é maior nas regiões mais distantes do litoral

Os meses de setembro, outubro, novembro e dezembro - o chamado "B-R-O-Bró" - é a época mais quente do ano no Nordeste. Contudo, este ano, no Ceará, as temperaturas tendem a ser menos elevadas. Conforme o meteorologista da Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme) Raul Fritz, o fato de as chuvas da quadra chuvosa terem atingido a média histórica após anos estiagem pode colaborar para que os efeitos do B-R-O-Bró sejam menos intensos.



Raul explica que o calor no B-R-O-Bró ocorre, principalmente, pela ausência de chuva no Brasil neste período do ano. A média de chuvas no Ceará no trimestre de setembro a novembro é de apenas 11,9 milímetros, conforme dados da Funceme. Apesar de a situação no Estado ser mais favorável neste ano, outros estados sofrerão com efeitos mais severos do fenômeno. No Piauí, por exemplo, esse período deverá ser o mais quente dos últimos anos, com temperaturas chegando a 42ºC.



“Sempre nesse período do ano a gente espera esse tipo de coisa (calor)”, afirma Raul Fritz. “É um período muito seco, que não chove. Os sistemas meteorológicos que trazem chuva não atuam nessa época”. As temperaturas durante esses meses pode chegar a 36ºC no Interior do Estado e 33ºC na Capital, já que o calor é maior nas regiões mais distantes do litoral.



O meteorologista também afirma que, durante os meses do B-R-O-Bró, é preciso ter cuidado redobrado, já que o calor pode propiciar queimadas no campo devido à secura da vegetação. O número de focos de incêndio aumenta, tendo pico no mês de novembro. Segundo dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), a média histórica de queimadas durante o mês é de 1.871 casos. Para que o calor não afete a saúde, o especialista também recomenda evitar a exposição direta ao sol e a ingestão frequente de líquidos.



O Povo





voltar